Empresa contratada para criar lista de jornalistas "detradores" do governo Bolsonaro já foi contratada por FBC, para prestar serviços ao Ministério da Integração em 2012




Lista de “jornalistas detratores” foi criada por empresa que disputa licitação no Ministério do Desenvolvimento Regional

De O Antagonista 

A BR Mais Comunicação, que fichou 81 jornalistas para o Ministério da Economia, está na disputa pela conta de R$ 8,7 milhões da comunicação do Ministério do Desenvolvimento Regional, de Rogério Marinho – considerado nos bastidores um ‘detrator’ de Paulo Guedes.

A licitação está na fase de habilitação e a empresa virou alvo de recursos de duas concorrentes: InPress e Partners.

As duas agências questionam decisão da comissão de licitação do MDR que habilitou a BR Mais, sem que a empresa apresentasse o balanço patrimonial do último exercício fiscal, uma exigência do edital – a BR Mais entregou o balanço intermediário do primeiro semestre de 2020.

Ainda não há decisão sobre os recursos.

A BR Mais, do publicitário Edson Campos, já recebeu do governo federal mais de R$ 81,7 milhões ao longo dos anos. Um dos principais contratos foi assinado com o Ministério da Integração, em 2012, na gestão de Fernando Bezerra Coelho (MDB).

A agência, que pertence ao publicitário Edson Campos, permaneceu na Integração por meio de renovações sucessivas, inclusive com Helder Barbalho (MDB), a quem Campos tem prestado assessoria especial na crise do Covidão.

Também conseguiu contratos temporários no MDR (que incorporou a Integração), inclusive na gestão Marinho, por meio do chamado Termo de Execução Descentralizada (TED), instrumento regulamentado pelo Ministério da Economia em setembro.

Essa ferramenta administrativa foi a mesma usada pela equipe de Paulo Guedes para firmar o polêmico contrato, no valor de R$ 2,7 milhões, para a elaboração do tal Mapa de Influenciadores.

Em ambos os casos, são contratos derivados da licitação que a BR Mais venceu em 2018 para cuidar da comunicação do Ministério da Ciência e Tecnologia, hoje comandado por Marcos Pontes. No último dia 10, a pasta assinou o terceiro aditivo com a agência, no valor de R$ 2,69 milhões, elevando para R$ 10,7 milhões o total desembolsado até agora.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021