Gráfica investigada pela PF e pelo DRACCO incrementou em até 1.448,66% valores recebidos do Governo de Pernambuco após prestação de serviços para candidaturas eleitorais em 2014, aponta Auditoria anexada à "Casa de Papel"

Gráfica A Única é investigada pela Polícia Federal e pelo DRACCO por suspeita de uso de laranjas para firmar contratos com o Poder Público, em Pernambuco. Auditoria do TCE/PE constatou superfaturamento de mais de R$ 64,6 milhões em contratos com o DETRAN/PE. Informações constam no processo que autorizou a deflagração da Operação Casa de Papel.

Uma Auditoria do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, anexada aos Autos da Operação Casa de Papel, da Polícia Federal, aponta que houve um "Incremento dos valores recebidos após prestação de serviços para candidaturas eleitorais em 2014", pela Gráfica A Única, de Sebastião Figueiroa, empresário que teve três pedidos de prisão negados pela Justiça Estadual e pela Justiça Federal em Pernambuco.

Segundo o Relatório dos Auditores, que concluiu por um superfaturamento de mais de R$ 60 milhões em contratos do DETRAN/PE com essa empresa, "Em consulta aberta ao endereço eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), verificou-se que a empresa Gráfica A Única recebeu R$2.773.666,79 pela prestação de serviços na campanha dos seguintes candidatos, nas eleições de 2014:



Pelos dados acima, afirma a Auditoria do TCE/PE, "verifica-se que a empresa​Gráfica A Única prestou serviços para 22 candidaturas na eleição de 2014, distribuídas nos seguintes cargos eletivos:Governador(1); Senador (1); Deputado Estadual (11), Deputado Federal (9). Observa-se, também, que a empresa recebeu R$900.000,00 do então candidato a Governador do Estado de Pernambuco. Em consulta ao sítio do TSE, verificou-se que essa empresa praticamente fez todo o serviço gráfico da sua campanha, uma vez que a outra gráfica contratada foi a empresa PBF GRÁFICA E TEXTIL LTDA, que recebeu um valor bem menos significativo, de R$ 25.485,00. Portanto, a empresa ​Gráfica A Única, após ser ter sido contratada por candidatos em disputa eleitoral em 2014, aumentou, em 909,24%, o valor recebido nos contratos com o estado e os municípios, entre 2015 e 2016. Conforme já mostrado, um aumento de 546,45% nos municípios e de 1.448,66 %, no estado. Na análise da descrição dos empenhos que geraram as despesas, em 2016, com a empresa Gráfica A Única, observaram-se, conforme consulta ao sistema Sistema Tome Conta/TCE-PE, que os gastos foram originadas de processos licitatórios iniciados em 2015 (dentre esses o Pregão Presencial n°15/2015doDETRAN-PE) e outros em 2016 (como no caso da Secretaria  de Educação de Pernambuco). Procedimento esperado, considerando que para se incrementarem 909,24% os valores gasto sem 2016, os processos licitatórios teriam que se iniciar antes da realização das despesas e após a conclusão dos contratos ainda vigentes em 2015 e 2016. Portanto, consolidando os fatos descritos acima,verifica-se que houve a seguinte sequência de fatos: ​em2014, houve prestação de serviços gráficos a 22 candidaturas nas eleições ocorridas nesse exercício; ​em 2015, ocorreu o início dos processos licitatórios que geraram as contratações realizadas em 2016 e, finalmente, ​em2016, ocorreu o incremento dos gastos com a Gráfica A Única de ​909,24​% em relação a 2015, passando de ​R$6.178.564,36​ para ​R$ 62.356.610,76​. Portanto, um aumento no valor de ​R$ 56.178.046,40​", conclui. 
 
Com a palavra os citados no Relatório do TCE/PE.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021