Jacques Wagner comemora surgimento de novos nomes da política e cita João Campos e Marília Arraes como exemplos: "A gente não pode ficar refém do Lula", declarou





Do Bahia Notícias

Mesmo o PT não elegendo prefeito em nenhuma das capitais do Brasil nas eleições deste ano, o senador Jaques Wagner (@jaqueswagner) avaliou como positivo o aparecimento de novos nomes no campo da esquerda. 

O parlamentar também sugeriu nesta segunda-feira (30), em entrevista ao apresentador a Mário Kertész hoje, na Rádio Metrópole, que “não vai ficar refém” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "a vida inteira". 

"Parabéns à democracia. Quem ganhou, parabéns. Quem perdeu, que se prepare para a próxima. Só para fechar, não acho, de longe, que teve algum enterro. É evidente que o tempo vai passando e vai se sentindo. O surgimento do Boulos é altamente alvissareira, ou da Manuela ou da Marília, além do João em Pernambuco. São pessoas jovens que estão começando a ter reconhecimento público. Acho ótimo, a gente não pode ficar refém. Sou amigo irmão do Lula, mas vou ficar refém dele a vida inteira? Não tem sentido. É minha opinião sincera, parabéns aos jovens que participaram e ganharam", disse Wagner.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021