Diretoria Antimáfia Italiana e Polícia Federal em Pernambuco prendem Italiano apontado como líder de rede de traficantes internacionais de drogas. O estrangeiro morava em Aldeia, na cidade pernambucana de Camaragibe

Imagem: Polícia Federal em Pernambuco 


A Polícia Federal em Pernambuco prendeu, no último dia 02 de fevereiro, em Operação conjunta com a Diretoria Distrita Antimáfia da Policia Italiana, Alduino Gianotta,  de 59 anos, natural da cidade de Acquarica Del Capo, na Itália e que vinha residindo em Aldeia, Camaragibe, no Estado de Pernambuco, apontado como líder de uma organização dedicada ao tráfico internacional de drogas entre países da América do Sul e a Europa.

A prisão foi determinada pelo Ministro Relator do Supremo Tribunal Federal, Nunes Marques e aconteceu quando o estrangeiro estava num veículo na companhia de sua esposa que é brasileira. 

Ele foi levado para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde tomou ciência de sua prisão e depois foi enviado para realizar exame de corpo de delito no IML-Instituto de Medicina Legal, e em seguida foi recolhido ao COTEL-Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna – onde ficará a disposição do Supremo Tribunal Federal.

De acordo com a PF, foram mais de dois anos de investigações que resultaram no cumprimento de 26 medidas judiciais, sendo 8 prisões preventivas, 18 prisões domiciliares com apreensões de bens (imóveis, veículos, dinheiro) localizados nas províncias de Lecce e Salermo, ultrapassando os 4 milhões de euros ou cerca de 26 milhões de reais. 

A cocaína saía da América do Sul através de navios e era enviada para armazéns na zona portuária de Amsterdã e de lá seguia para Salento (base da organização criminosa) e vários outras cidades da Itália. 

Ao desembarcar na Itália, a cocaína quando era transportada nos bancos traseiros e na mala de veículos com contatos feitos por celular através de mensagens criptografadas, difíceis de rastrear. 

Segundo investigações da Polícia de Lecce, o italiano preso em Pernambuco, seria o principal organizador, gerente e financiador, responsável pelo fornecimento e envio de enormes quantidades de cocaína da América do Sul para Amsterdã/Holanda, tendo inclusive, vários contatos com fornecedores internacionais. 

A cocaína, ao chegar em Amsterdã, na Holanda e em Salento, na Itália era armazenada em vários edifícios, utilizados como depósito da droga. A entrega sistemática de cocaína para traficantes em Salento era feita sob sua supervisão e orientação através de seus homens de confiança. 

A operação, informa a PF, reforça as diretrizes estabelecidas pela instituição no combate às grandes organizações dedicadas ao tráfico internacional de drogas mediante a prisão de seus líderes e a identificação do patrimônio ilícito auferido com as atividades criminosas, em atuação conjunta com outros países mediante intensa cooperação policial.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Polícia Federal em Pernambuco 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021