Instituto de Criminalística confirma troca de corpos sepultados em Pernambuco

26 de abr. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

Perícia realizada por peritos do IITB confirmou a troca (Foto: PCPE)

O caso foi denunciado, na quarta-feira, 21, por familiares de um dos homens que tiveram os corpos trocados. Segundo os familiares de Luiz Fernando da Silva Filho, a troca foi constatada no momento do sepultamento, quando abriram o caixão do parente, que havia falecido em decorrência de um infarto fulminante e verificaram que o cadáver, além de usar roupas diferentes, apresentava marca de traqueostomia no pescoço.

A Polícia Civil de Pernambuco confirmou, há pouco, por meio de nota, que um homem foi sepultado em nome de outro em um Cemitério da Capital pernambucana.

Segundo a nota, "Na quarta-feira, dia 21/04, a Polícia Civil de Pernambuco registrou na Central de Plantões da Capital um caso de suposta troca de cadáveres. Após a exumação do corpo (24/04), o IITB foi acionado e os peritos papiloscopistas realizaram a Identificação necropapiloscópica do cadáver e constataram após minuciosa análise a identidade do corpo enterrado que foi sepultado em nome de outra pessoa."

O caso foi denunciado, na quarta-feira, 21, por familiares de um dos homens que tiveram os corpos trocados. Segundo os familiares de Luiz Fernando da Silva Filho, a troca foi constatada no momento do sepultamento, quando abriram o caixão do parente, que havia falecido em decorrência de um infarto fulminante e verificaram que o cadáver, além de usar roupas diferentes, apresentava marca de traqueostomia no pescoço.

 

Identificação necropapiloscópica do cadáver sepultado no Cemitério de Santo Amaro constatou, a identidade do corpo enterrado que foi sepultado em nome de outra pessoa. (Foto: PCPE)


 

A troca de corpos já havia sido confirmada pelas próprias funerárias contratadas pelas famílias, para os sepultamentos, por meio de notas.

A troca teria ocorrido em um laboratório de somatoconservação pertencente à Funerária Morada da Luz, para onde os corpos haviam sido encaminhados, em razão da falta de vagas para sepultamento nos Cemitérios.

Na nota, o laboratório e as funerárias afirmaram que "não foi feita a checagem de identificação na hora de saída" do corpo para sepultamento. Por isso, o corpo de Luiz Fernando da Silva Filho "foi conduzido ao para velório popular no cemitério de Santo Amaro, sendo velado pela família de Júlio das 8h às 13h20" e, durante esse tempo, não foi percebida a troca.

"Ratificamos que a empresa realizou todos os protocolos de identificação dos corpos. Lamentamos profundamente o ocorrido, já estamos oferecendo todo suporte para as famílias e dando os encaminhamentos necessários", afirmaram as empresas, na nota.

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) informou que "o sepultamento do corpo realizado na última terça-feira (20) aconteceu de acordo com todos os procedimentos adequados, em cova rotatória, inclusive com o acompanhamento da família que, a princípio, deveria ter reconhecido o corpo na funerária contratada que prestou o serviço".


Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021