Ministro do STJ concede prisão domiciliar à viúva foragida de Adriano Nóbrega, líder miliciano morto na Bahia

27 de abr. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito
Foto: Reprodução 


Acusada de lavar de dinheiro para a milícia, ela teve a prisão decretada em março, mas estava foragida

O ministro Reynaldo Soares da Fonseca, do Superior Tribunal de Justiça, converteu em domiciliar a prisão preventiva de Julia Lotufo, viúva do capitão Adriano da Nóbrega, apontado como chefe do Escritório do Crime no Rio e morto no início do ano passado.

Acusada de lavar de dinheiro para a milícia, ela teve a prisão decretada em março, mas estava foragida — a defesa afirmou que se ela se entregasse, correrria risco de vida na cadeia. Na decisão, Reynaldo Soares da Fonseca levou em conta que ela tem uma filha de 9 anos.

“O propósito da lei não é conferir um salvo-conduto às mulheres que cometem crime sem violência ou grave ameaça independentemente do risco que a sua liberdade possa oferecer aos filhos, à pessoa com deficiência pela qual é responsável, ou mesmo à sociedade”, afirmou o ministro.

Julia Lotufo será monitorada com tornozeleira eletrônica, terá que entregar o seu passaporte, não poderá fazer contato com outros investigados e deverá comparecer periodicamente em juízo.​

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021