Relatório do TCE/PE aponta superfaturamento em equipamentos para intubação durante gestão de Geraldo Julio, revela Guilherme Amado, da Época

14 de abr. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito
Foto: Divulgaçao PCR



O colunista Guilherme Amado, da Revista Época revelou, ontem, 13, que o Tribunal de Contas de Pernambuco apontou prejuízo de R$ 8,2 milhões aos cofres da Prefeitura de Recife em duas licitações no início da pandemia , que incluíam equipamento para intubação.

As compras aconteceram na gestão de Geraldo Júlio (PSB), sucedido por João Campos em janeiro de 2021.


Em um relatório de janeiro, os técnicos sugeriram que Jailson de Barros Correia, ex-secretário de Saúde de Recife e atualmente assessor na Secretaria Estadual de Saúde, dois ex-assessores e três empresas devolvam o valor à prefeitura.

De acordo com o documento, houve “fortes indícios” de direcionamento nas contratações de itens como tubos endotraqueais, usados em intubações; sondas; seringas; luvas; e agulhas.

A apuração foi iniciada após representações da deputada estadual Priscila Krause, do DEM.

Esse caso é relatado pelo conselheiro Carlos Neves, e ainda não foi julgado.


Ao custo de R$ 30,2 milhões, as licitações realizadas em março e abril têm “fortes indícios de direcionamento, de modo a favorecer os fornecedores contratados nas referidas dispensas, quando deveria se atentar aos critérios técnicos e legais exigidos e aos princípios da moralidade administrativa, da impessoalidade e da isonomia”, seguiu o documento.


Procurada, a Prefeitura de Recife afirmou que todas as contratações na pandemia foram feitas “dentro da legalidade” e enviadas aos órgãos de controle “por iniciativa própria”.

O governo de Pernambuco declarou que Jailson Correia, ex-secretário de Saúde de Recife e atualmente assessor do governo estadual, é médico concursado, e não comentou o relatório do Tribunal de Contas.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021