Alvo da Operação "Casa de Papel", ligado ao Centrão, Beto Accioly ganha cargo no governo Paulo Câmara

21 de mai. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

Ex-prefeito do Recife Geraldo Julio, que quer ser governador de Pernambuco e Beto Accioly, que ganhou cargo no governo do Estado por indicação do PP, Partido que apoia Bolsonaro no Congresso Nacional

 A Operação Casa de Papel investiga suposto esquema de propinas para contratação, por secretarias das Prefeituras do Recife, do Cabo e de Paulista, pela empresa AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA., com recursos do combate à pandemia. O inquérito foi encaminhado ao TRF da 5ª Região em razão do foro privilegiado do secretário de Paulo Câmara, Renato Thiebaut, investigado na Operação Articulata, um desdobramento da Casa de Papel. 

O ex-deputado e candidato derrotado à Prefeitura de Camaragibe, Beto Accioly, que foi alvo da Operação Casa de Papel, da Polícia Federal, ganhou um cargo no IPA, Instituto Agronômico de Pernambuco, na cota do PP, Partido do Centrão que dá sustentação a Jair Bolsonaro no Congresso Nacional.

A Operação Casa de Papel investiga suposto esquema de propinas para contratação, por secretarias das Prefeituras do Recife, do Cabo e de Paulista, pela empresa AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA., com recursos do combate à pandemia. Segundo a Polícia Federal, empresa estaria em nome de "laranjas", sendo o verdadeiro dono o empresário Sebastião Figueroa, ligado a políticos tanto da situação quanto da oposição, em Pernambuco, para quem emprestaria dinheiro. O inquérito foi encaminhado ao TRF da 5ª Região em razão do foro privilegiado do secretário de Paulo Câmara, Renato Thiebaut, investigado na Operação Articulata, um desdobramento da Casa de Papel. Thiebaut, segundo a PF. Documento de Inteligência Policial da Operação Articulata aponta "o modus operandi da organização criminosa liderada por SEBASTIÃO FIGUEIROA ensejava, na maior parte das vezes, o pagamento de vantagem indevida aos funcionários públicos envolvidos nas contratações públicas, sendo que, por outro lado, informações de inteligência dão conta de que RENATO XAVIER THIEBAUT é tido como o responsável por cobrar e operacionalizar as propinas dos fornecedores do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife,valendo-se, para tanto, dentre outras pessoas, de LUCIANO CYRENO FERRAZ como arrecadador dos recursos."

Ainda segundo a Polícia Federal, "RENATO XAVIER THIEBAUT atuou como coordenador de campanhas eleitorais de candidatos do PSB à Prefeitura do Recife (Geraldo Júlio), ao Governo do Estado (Paulo Câmara) e ainda à disputa de Eduardo Campos à Presidência da República em 2014, demonstrando que ele permeia os meandros políticos há bastante tempo. 55. Aliás, a informação de polícia judiciária nº 227644/2020 expõe o longo trajeto político de RENATO THIEBAUT, sempre atrelado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) e, especialmente, ao ex-Governador EDUARDO CAMPOS, o qual presidia a aludida sigla no âmbito estadual e nacional: Renato apresenta uma longa carreira no meio político, tendo atuado ainda, segundo o sítio da Fundação João Mangabeira, como assessor parlamentar do deputado federal Eduardo Campos, chefe de gabinete, assessor especial, ordenador de despesas, coordenador geral de Recursos Logísticos e Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Chefe do Escritório de Representação do Estado de Pernambuco em Brasília e Secretário Chefe do Gabinete do Governador."

Já sobre Beto Accioly a Polícia Federal aponta que dos "indícios da existência de um esquema de pagamento de propinas, exsurge JOSÉ ROBERTO DE SANTOS MOURA ACCIOLY. Ele exercera o cargo de deputado estadual até fevereiro de 2019, abandonando o mandato em face de sua nomeação para Gerente Geral de Governo da Secretaria de Governo e Participação Social da Prefeitura do Recife/PE. Atualmente é pré-candidato à Prefeitura de Camaragibe para as eleições 2020."

Ainda segundo Beto Accioly, a Justiça Federal aponta que "Os primeiros indícios de ligação com o grupo econômico datam de 2018 e são os seguintes: na sua declaração das despesas de campanha apresentada ao TRE/PE, consta a doação de R$ 72.174,00 da UNIPAUTA FORMULÁRIOS LTDA.; vencida a eleição para deputado estadual, FABIANA CRISTINA OLIVEIRA RABIN e FÁBIO RICARDO DE OLIVEIRA RABIN, os sócios formais da AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA. passaram a exercer funções comissionadas em seu gabinete, segundo a CGU. Relembro ter dito antes que FABIANA CRISTINA OLIVEIRA RABIN e SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA tiveram um filho juntos e seriam supostos companheiros. Mais recentemente, o RIF 48802 teria revelado que IVANA ELEN RODRIGUES PEREIRA, uma ocupante de cargo comissionado no gabinete de JOSÉ ROBERTO DE SANTOS MOURA ACCIOLY, até a renúncia deste ao cargo eletivo, recebera 04 transferências bancárias de SEBASTIÃO FIGUEIROADE SIQUEIRA, no montante de R$ 290.445,00. Segundo o DPF/MPF, considerando que o grupo econômico de SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA firmou vários contratos com a Assembleia Legislativa, auferindo milhões de reais, isso constituiria forte indício de o destinatário final desse volume ter sido o então deputado estadual."

No presente momento, aponta o magistrado, a "AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA. é justamente a principal suspeita de falsidade ideológica e contratações superfaturadas pelas Prefeituras de Recife, Cabo de Santo Agostinho, Olinda e Paulista nas dispensas de licitação para o combate à Covid-19. Essa narrativa realmente sinaliza a possibilidade de um relacionamento escuso entre o ex-agente político e o grupo empresarial, ao menos desde 2018, remanescendo até hoje."

A informação sobre a nomeação de Beto Accioly para novo cargo em gestão do PSB, desta feita no governo Paulo Câmara, por indicação do PP, é da colunista Renata Bezerra de Mello, da Folha de Pernambuco.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021