Mais de 20 empresas do Grupo João Santos utilizaram uma "factoring" para lavar dinheiro, além de superfaturar importações para fazer remessas ao exterior, aponta a Receita Federal

5 de mai. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

 

Foto: Divulgação/PF

Durante o cumprimento dos mandados da Operação Background em 19 endereços, sendo 15 no Recife, 01 em Olinda e 03 na cidade de São Paulo foram apreendidas obras de arte, joias, relógios suíços, embarcações e veículos de luxo e dinheiro em espécie, tanto em reais quanto em moedas estrangeiras.
 
As investigações da Polícia Federal e da Receita Federal identificaram que mais de vinte empresas do Grupo João Santos, sediado em Recife, utilizaram-se de uma factoring para desviar receitas que poderiam ser utilizadas para quitar diversas dívidas trabalhistas e tributárias. Verificou-se, também, a prática reiterada de superfaturamento em importações e subfaturamento em exportações, com o claro objetivo de remeter, ilicitamente, recursos ao exterior.

Assim, no curso da Operação Background, foram decretados bloqueios de valores e sequestros de bens pertencentes aos investigados, referentes a dívidas tributárias (União, estados e municípios) e trabalhistas, que totalizam mais de 8,6 bilhões de reais.

Durante o cumprimento dos mandados em 19 endereços, sendo 15 no Recife, 01 em Olinda e 03 na cidade de São Paulo foram apreendidas obras de arte, joias, relógios suíços, embarcações e veículos de luxo e dinheiro em espécie, tanto em reais quanto em moedas estrangeiras.





 

 Fotos: Divulgação/PE


Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021