Uma paraibana e uma pernambucana entre as finalistas do prêmio Cartier Women’s Initiative, concurso de empreendedorismo da grife francesa de luxo

3 de mai. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

Foto: Divulgação

A pernambucana Rafa Cavalcanti, idealizadora de um aplicativo inclusivo que facilita o acesso ao crédito, e a paraibana Bárbara Granek, criadora de uma startup que tem como propósito conectar produtores e compradores do mercado de pesca, são as únicas brasileiras entre as 24 finalistas da premiação.

A edição de 2021 do Cartier Women’s Initiative (CWI), concurso de empreendedorismo da empresa francesa de luxo, tem uma pernambucana e uma paraibana entre as finalistas. Rafa Cavalcanti, idealizadora de um aplicativo inclusivo que facilita o acesso a crédito, e Bárbara Granek, criadora de uma startup que tem como propósito conectar produtores e compradores do mercado de pesca, são as únicas brasileiras entre as 24 finalistas da premiação, cujo resultado será divulgado no fim de maio.

 

Foto: Divulgação

A pernambucana Rafa Cavalcanti, lançou o aplicativo CloQ. Por meio de análise de crédito comportamental, a ferramenta facilita o acesso ao nanocrédito. O diferencial é que não consulta dados financeiros, como SPC e Serasa. Atualmente, são mais de 15 mil clientes cadastrados na plataforma, dos quais 75% são mulheres.

“A Rafa Cavalcanti vem de uma família de empreendedores de uma comunidade de Recife. Com experiências internacionais nos Estados Unidos, na Índia, China e Holanda, ela decidiu criar uma empresa que solucionasse os problemas de quem não consegue crédito e, muitas vezes, recorre a agiotas”, destacou a Cartier. “A ideia democratiza e ajuda a construir um histórico positivo para esse empreendedor – que, muitas vezes, é informal e, assim, pode caminhar sozinho”, destacou a Cartier. 

 

Foto: Divulgação
Já a paraibana Barbara Granek é fundadora da Fishtag. Segundo a Cartier, ela é de uma família que exporta peixe para os Estados Unidos. Com a experiência pessoal, ela percebeu que faltava digitalização no mercado. A iniciativa teve crescimento de 60% de 2019 para 2020.

Em 2019, criou a startup para gerar uma cadeia mais sustentável e operacional tecnologicamente. “Queremos conectar o produtor ao consumidor, além de garantir a procedência do peixe e formalizar os pagamentos que, no geral, são em papel e caneta nessa indústria”, explicou Barbara Granek, em comunicado.

Lançada em 2006, a premiação apoia empreendedoras que lideram projetos de impacto social ao redor do mundo. O programa é aberto a empresas fundadas ou geridas por mulheres. O requisito principal é que a iniciativa tenha impacto sustentável significativo na sociedade.

O CWI 21 selecionou 24 mulheres, entre 876 candidatas, de 142 países. Pela primeira vez, a organização reconheceu empresárias do Mali, do Iraque e de Mianmar. Neste ano, o programa lançou o Prêmio Pioneiro em Ciência e Tecnologia, além das sete consagrações regionais já conhecidas.

“Mais três mulheres empreendedoras de impacto na vanguarda da inovação científica e tecnológica serão reconhecidas. Aberto a empresárias de qualquer país e setor, o prêmio destacará soluções disruptivas construídas em torno de avanços tecnológicos ou científicos exclusivos, protegidos ou difíceis de reproduzir”, explicou a Cartier, em comunicado à imprensa.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021