Nélida Piñon: Aos 84 anos e em plena atividade, escritora participa de "lives", conclui livro na quarentena e ganha prêmios

6 de jun. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

Nélida Piñon: aos 83 anos, escritora concluiu livro na quarentena / Foto: Afonso Henrique/Up Magazine
 

Aos 83 anos, Nélida Piñon, hoje com 84, completados no último dia 3 de maio, foi a grande vencedora do Prêmio Jabuti, de 2020, na categoria crônica com Uma furtiva lágrima. Na obra, editada pela Record, Nélida fala sobre sua infância no Rio de Janeiro, a amizade com Clarice Lispector e a relação com seus antepassados.  Concluído durante o isolamento social na pandemia, Um dia Chegarei a Sagres é apontado como uma obra épica em que a autora mergulha no Portugal profundo do século XIX, um romance de formação, no qual o leitor acompanha o amadurecimento do jovem Matheus e a perda de ilusões. Pobre e bastardo, ele decide abandonar sua pequena aldeia após a morte do querido avô, a fim de seguir os passos do ídolo e chegar à sonhada cidade de Sagres. Ao longo do percurso, o personagem explora os seus intensos desejos sexuais e a sua paixão por ouvir histórias.

Premiações não chegam a ser novidade para a escritora brasileira Nélida Piñon, ganhadora de alguns dos mais importantes prêmios da literatura mundial, a exemplo do Príncipe das Astúrias (Espanha), do Juan Rulfo (México) e do Gabriela Mistral (Chile), que fizeram de Nélida, talvez, a escritora brasileira mais premiada no exterior. Em 1992, o Suplemento Literário do New York Times chegou a compará-la a Miguel de Cervantes:


Mas não deixa de ser digno de nota que aos 83 anos, Nélida, hoje com 84, completados no último dia 3 de maio, tenha sido a grande vencedora do Prêmio Jabuti, de 2020, na categoria crônica com Uma furtiva lágrima. Na obra, editada pela Record, Nélida fala sobre sua infância no Rio de Janeiro, a amizade com Clarice Lispector e a relação com seus antepassados.  

Foto: Reprodução
 

Nélida já havia recebido dois Jabutis, em 2005, nas categorias Romance e Livro do Ano, por Vozes do Deserto. O Jabuti é considerado o prêmio de maior prestígio dentre os distribuídos a escritores, no Brasil.

Foto: Reprodução
 

Mas depois de 60 anos dedicados ao ofício de escritora, Nélida parece não encontrar limites à sua capacidade criativa e de produzir obras-primas. No final de 2020, lançou o épico Um dia Chegarei a Sagres. Obra concluída durante o isolamento social decorrente da pandemia de coronavírus, é apresentado como um mergulho profundo no Portugal do século XIX, país para onde Nélida se mudou em 2018 e onde residiu por dois anos, para fazer as pesquisas para sua obra mais recente. Por Um dia Chegarei a Sagres, Nélida já foi agraciada com o Grande Prêmio Nacional Pen Clube de Literatura de 2020.

Sobre Um dia chegarei a Sagres, Nélida Piñon revela ter sido reescrito sete vezes, antes de ser lançado pela Record. Segundo o Site No Cenáculo: "A obra apresenta a fascinação de Matheus – um camponês do norte de Portugal em meados do século XIX – pelos feitos do Infante Dom Henrique de Avis (1394-1460), responsável por parte dos avanços técnicos que tornaram possível a expansão marítima do país. A partir da trajetória pessoal do protagonista, o texto revisita alguns dos principais eventos da história portuguesa, de modo a contrastar as glórias do passado com um presente bem menos heroico. Em certa medida, a narrativa configura-se como um romance de formação, no qual o leitor acompanha o amadurecimento do jovem e a perda de ilusões. Pobre e bastardo, ele decide abandonar sua pequena aldeia após a morte do querido avô, a fim de seguir os passos do ídolo e chegar à sonhada cidade de Sagres. Ao longo do percurso, o personagem explora os seus intensos desejos sexuais e a sua paixão por ouvir histórias."
 
Aos 84 anos, Nélida Piñon é presença constante em "lives" onde a Literatura, que tanto ama e à qual dedicou toda a sua rica e prolífica existência, é o tema central.
 
"Inventar sobrepõe-se a todos os limites" (Nélida Piñon).
 
Entrevista de Nélida Piñon ao Arte & Cultura em 14/04/2016:
 

 Nélida Piñon em entrevista ao Roda Viva em 02/11/2020:
 


Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021