PF investiga uso de Canal bolsonarista no YouTube para lavagem de dinheiro por servidores públicos

9 de jun. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, dono do Canal Terça Livre é um dos principais investigados pelo inquérito das "Fake News" (Foto: Estadão Conteúdo)
 

Apenas um servidor do TCE do Rio de Janeiro chegou a doar mais de 40 mil reais ao Canal Terça Livre. A um dos sócios do Terça Livre, uma servidora do BNDES doou  a impressionante quantia de 70 mil reais.

Em um dos trechos do Relatório da Polícia Federal referente ao Inquérito 4828, que tramita no STF para apurar o financiamento dos chamados "atos antidemocráticos" e de "fake news" por apoiadores de Jair Bolsonaro e que teve seu sigilo levantado pelo ministro Alexandre de Moraes, são indicadas  vultosas doações de servidores públicos ao Canal Bolsonarista, Terça-Livre. Sob o titulo "DOAÇÃO DE VALORES PARA TERÇA-LIVRE (POSSÍVEL INTERPOSIÇÃO DE PESSOAS PARA LAVAGEM DE DINHEIRO)", foram apontadas vultosas doações ao Canal da rede bolsonarista, oriundas de servidores públicos.

Para se ter uma ideia, apenas um servidor do TCE do Rio de Janeiro chegou a doar mais de 40 mil reais ao Canal Terça Livre. A um dos sócios do Terça Livre, uma servidora do BNDES doou  a impressionante quantia de 70 mil reais:

"No curso dos trabalhos de análise do material obtido durante a investigação, identificou-se que o sítio TERÇA-LIVRE e pessoas vinculadas recebem valores significativos doados ao canal por meio de plataformas de crowdfunding (indicação de aprofundamento, cerca de 100.000 por mês), feitos por meio de sítios de doação (apoia-se. super chat etc) ou diretamente em contas pessoais.  Durante a busca e apreensão executada na residência de ALLAN DOS SANTOS, foi encontrada uma planilha de doadores do canal TERÇA-LIVRE, via plataforma APOIA-SE, contendo mais de 1700 linhas. Entre os 16 primeiros doadores, há um servidor público do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (RAUL NAGELI que realizou 27 transações que totalizaram R$ 40.350,00. GIULIANO CARVALHO, servidor da Secretaria da Fazendo do Rio, realizou 31 transações que totalizaram R$ 15.500,00. CHRISTIANO CAVALCANTE (servidor do Senado Federal) doou, em 3 transações, R$ 15.000,00. Já a servidora do BNDES ANA MARIA DA SILVA GLÓRIA doou diretamente na conta de ÍTALO LORENZON NETO (sócio do TERÇA-LIVRE) ao menos R$ 70.000,00. Segundo os dados discutidos por pessoas ligadas à gestão financeira do TERÇA-LIVRE, entre 13 de abril de 2020 a 13 de maio de 2020, houve 1581 transações, das quais 649 sem recebimento da identificação de CPF. A quantidade de doações, o valor repassado por servidores públicos, a forma do repasse, a preocupação demonstrada pelas pessoas ligadas ao TERÇA-LIVRE quanto à exigência de indicação de CPF pelo sítio APOIA-SE, indica a necessidade de compreender os fatos e as circunstâncias", diz o relatório da PF encaminhado a Alexandre de Moraes.

 No relatório, ainda, a delegada da PF, Denisse Dias Rosas Ribeiro, "O presente evento traz elementos que apontam para a necessidade de aprofundamento, considerando a quantidade de servidores públicos doadores e respectivos valores repassados. Sugere-se ao juízo a determinação a separação desse evento para permitir instauração de inquérito policial próprio."

Foto: Reprodução/Inquérito



Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021