Desembargador cassa própria decisão que afastou prefeito de Itapissuma e auxiliares

29 de jul. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

Foto: Divulgação/Prefeitura de Itapissuma

 

Decisão de afastamento foi revista pelo próprio desembargador que havia determinado afastamento, após constatar que a Polícia Civil de Pernambuco havia instaurado dois inquéritos para investigar fatos conexos entre si, sem informar que já haveria desembargador prevento para analisar o caso

O desembargador Cláudio Jean Nogueira Virgínio decidiu revogar decisão anterior em que havia determinado o afastamento do prefeito de Itapissuma, José Bezerra Tenório Filho, conhecido como Zé de Irmã Teca, do PSD, após constatar que os fatos narrados da representação policial já eram investigados em inquérito sob a jurisdição do desembargador Alexandre Guedes Alcoforado Assunção, da chamada Operação Dragão do Mar, que apura supostos desvios praticados pelo prefeito nos programas "Frente de Serviço" e "Bolsa Qualifica".


De acordo com a decisão, somente após receber cópias de documentos que lhe foram encaminhadas pelo gabinete do desembargador Alexandre Assunção, relator da primeira fase da Operação Dragão do Mar, foi possível confirmar a conexão entre os dois inquéritos, o que tornava prevento o desembargador Alexandre para análise do caso.

É que, segundo a decisão, ao deferir a deflagração da primeira fase da Operação Dragão do Mar, o desembargador Alexandre Assunção deferira o afastamento do prefeito de Itapissuma do cargo, revogando tal medida, após a Procuradoria Geral de Justiça denunciá-lo juntamente com outros 16 envolvidos no suposto esquema em que a autoridade policial concluiu que o prefeito se utilizava dos programas assistenciais do Município para formação de "currais eleitorais".