Atos de atual diretor-geral da PF viram alvo de inquérito que apura interferência política de Bolsonaro na instituição

26 de ago. de 2021

/ by Blog da Noelia Brito

O Coronel Meira, presidente do PTB de Pernambuco, posa ao lado de Roberto Jefferson e Daniel Silveira, que estão presos por ameaças e ataques à honra de autoridades / Foto: Divulgação

Em Pernambuco, o bolsonarista Coronel Meira, presidente do PTB, alardeou em entrevistas e notas à imprensa que pediu para que fosse substituída a Superintendente da PF no Estado e que foi atendido. Meira é alvo de inquérito instaurado por requisição do Ministério Público Federal por crimes contra a honra da delegada da Polícia Federal Carla Patrícia Cintra, após o ex-PM promover campanha difamatória contra a policial em blogs de Pernambuco, para retirá-la do comando da PF.


A Coluna Painel, da Folha de São Paulo, revela que o inquérito que investiga a interferência do presidente Jair Bolsonaro, na Polícia Federal, denunciada pelo ex-ministro da Justiça, Sergio moro, vai ser ampliado. Responsável pelo caso, o delegado Felipe Leal decidiu que vai investigar os atos do atual diretor-geral da PF, Paulo Gustavo Maiurino, que resultaram em exonerações ou transferências de Delegados da Polícia Federal por ingerência política.

Segundo o Painel, a investigação estava praticamente parada desde setembro de 2020, no Supremo esperando uma decisão da corte sobre o formato do depoimento do presidente da República, se pessoalmente ou por escrito.

Entretanto, o inquérito foi retomado em julho por ordem do seu relator, Alexandre de Moraes, do STF, que também determinou o retorno do delegado ao comando das investigações. Leal havia sido substituído por Maiurino, que fez várias mudanças em cargos da corporação tão logo assumiu a Diretoria Geral, uma das quais, a substituição do Superintendente do Amazonas, responsável por investigações contra o ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ganhou repercussão internacional. 

Em Pernambuco, a interferência política na PF foi confessada pelo presidente do PTB, no Estado, conhecido como Coronel Meira, que se gabou, por meio de notas e entrevistas à imprensa local, que pediu a saída da delegada Carla Patrícia do comando da instituição e que foi "prontamente atendido" pelo Direitor-Geral Maiurino. Confiram em Coronel Meira, presidente do PTB, diz em nota que Carla Patricia 'protegia o PSB' e que partiu dele pedido de substituição da delegada

Sem base nenhuma, o ex-PM se utilizava de Blogs bolsonaristas para atacar a honra da então Superintende da PF em Pernambuco, a delegada Carla Patrícia Cintra, acusando-a de proteger o PSB, quando, na verdade, foi sob a gestão de Carla Patrícia que a Prefeitura do Recife, comandada por um dos principais caciques do PSB, o ex-prefeito Geraldo Julio, foi alvo de nada menos que sete Operações da PF, de combate à corrupção, por suspeitas de desvios na pandemia. Antes disso, a Prefeitura nunca fora alvo de nenhuma Operação da Polícia Federal. Por causa das inverdades difamatórias assacadas por Meira contra Carla Patrícia, a Procuradora da República Silvia Regina Pontes Lopes, uma das responsável pelas Operações de Combate à Corrupção na Prefeitura do Recife, dentre outras, requisitou que a Polícia Federal instaurasse inquérito para investigar o que considerou crimes do Coronel Meira contra a Delegada Carla Patrícia. Sobre o inquérito, porém, a Polícia Federal, contactada pelo Blog da Noelia Brito, por intermédio de sua assessoria de Comunicação, não quis se manifestar.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021