Sob Bolsonaro, quarteis do Exército ficam sem alimentos e passam a funcionar somente por meio expediente na Capital


Foto: Reprodução 


Além de arroz, feijão e óleo, quartéis começam a ficar sem carne. Com isso, a partir desta quarta-feira (8/9), soldados foram orientados a trabalhar das 8h às 11h30, para que almocem fora do trabalho. Até então, o serviço seguia até as 17h, informa o Metrópoles 

De acordo com a Coluna do Guilherme Amado, do Metrópoles, a falta de alimentos levou os quartéis do Exército em Brasília a cobrarem, a partir desta quarta-feira (8/9) apenas meio expediente de trabalho de soldados, para evitar que os agentes fiquem sem refeições. O desabastecimento nos quartéis se intensificou: além de arroz, feijão e óleo, começou a faltar carne.

No último dia 31, a coluna já havia mostrado que quartéis do Comando Militar do Planalto enfrentavam desabastecimento de comida no Distrito Federal. Em comunicado, o Exército culpou a inflação e a pandemia pela situação.

A partir desta quarta-feira (8/9), soldados foram orientados a trabalhar das 8h às 11h30, para que almocem fora do trabalho. Até então, o serviço seguia até as 17h.

Procurado, o Comando Militar do Planalto não respondeu.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021