Empresário é preso em flagrante armazenando pornografia infantil em mansão no Lago Sul, área nobre da Capital Federal

Mansão do empresário preso por pedofilia, no Distrito Federal, fica no Lago Sul, área nobre da capital federal. Foto: Divulgação/PCDF


Segundo o Portal Metrópoles, trata-se do empresário do ramo hoteleiro do Distrito Federal Gianmarco Marchetti, dono do Hotel San Marco. Nas fases anteriores da Operação Downloader, a Polícia prendeu um auxiliar de pedreiro e um servidor concursado do Senado Federal que armazenavam milhares de horas de material pornográfico com cenas de sexo com crianças de 4 a 10 anos, "para deleite pessoal", segundo os próprios pedófilos.


A Polícia Civil do Distrito Federal – PCDF, por meio da Delegacia Especial de Repressão a Crimes Cibernéticos – DRCC, prendeu, nessa manhã (2), um empresário, morador do Lago Sul, acusado de armazenar pornografia infantojuvenil em dispositivos informáticos. A ação ocorreu durante a terceira fase da Operação Downloader que combate crimes de pornografia infantojuvenil.

A operação, que contou com apoio do Instituto de Criminalística/IC e da Divisão de Inteligência Policial – DIPO, é consequência de uma série investigações que visam promover à repressão de divulgação de imagens e vídeos de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet.

Nas fases anteriores, a Polícia prendeu um auxiliar de pedreiro e um servidor do Senado Federal flagrados armazenando material pornográfico com imagens de pedofilia, envolvendo crianças de 4 a 10 anos.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão na mansão do empresário, os agentes encontraram materiais relacionados à pedofilia armazenados em dispositivos de informática (computador e celular). No interior da residência, foram também apreendidos equipamentos eletrônicos que estariam sendo utilizados na prática das condutas criminosas.

O investigado foi autuado em flagrante pelo delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil (Art 241-B, do ECA), fato constatado no cumprimento do mandado de busca e apreensão.

O empresário foi levado à carceragem desta instituição, onde permanecerá à disposição da Justiça.

As penas para o delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil (Artigo 241-B, do ECA) podem chegar a 4 anos e para o crime de disponibilização/divulgação de material de pornografia infantil (artigo 241- A, do ECA) podem chegar a seis anos, por cada compartilhamento realizado.

Os pedófilos alegam que baixavam os materiais há anos, para deleite pessoal.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021