Biografia "Lula e a política da astúcia: de metalúrgico a presidente do Brasil" é lançada, hoje, 9, no Recife

Foto: Divulgação/Ricardo Stuckert 

De autoria do historiador estadunidense John French, que estará presente no lançamento, a obra é publicado pela Editora Expressão Popular e pela Fundação Perseu Abramo e será lançada no Armazém do Campo, na Avenida Martins de Barros, 387, Bairro Santo Antonio. em Recife, nesta sexta-feira, 9, às 19h

John D. French analisa nesta biografia, publicada pela Expressão Popular em coedição com a Fundação Perseu Abramo, as raízes históricas que sustentam a formação política de Luiz Inácio Lula da Silva e sua liderança das greves no ABC paulista à Presidência da República

Como um operário como Luiz Inácio da Silva se tornou o líder Lula, das greves do ABC e o presidente do Brasil reconhecido no mundo todo? O historiador John D. French procurou as possíveis respostas para este fenômeno político brasileiro em arquivos, biografias, entrevistas reunidas desde o despontar do peão sindicalista nos anos 1970 até a Presidência da República, nos anos 2000. O resultado desta pesquisa é o livro Lula e a política da astúcia: de metalúrgico a presidente do Brasil, lançado em agosto pela Editora Expressão Popular, em coedição com a Fundação Perseu Abramo.

French apresenta uma biografia que busca reconstruir os processos que forjaram a trajetória política tão peculiar de Lula, a partir da análise histórica da cidade de São Paulo, dos anos 1950 até 1980. O autor investiga os aprendizados decisivos que possibilitaram ao jovem Luiz Inácio a se tornar um operáriohabilidoso e posteriormente um líder com poder de mobilizar o povo pelo discurso, nas portas de fábricas e comícios do partido que ajudou a fundar, o PT. Nesta biografia, French prioriza as relações sociais, políticas e culturais que permitiram a Luiz Inácio se tornar a liderança política que é, sem adotar uma narrativa centrada no indivíduo, que venceu exclusivamente por seus próprios méritos.

O que diferencia esta biografia de outras sobre a vida do presidente Lula, é a análise que French faz sobre a insurgência massiva de trabalhadores, que emergiu nas indústrias metalúrgicas da região do ABC no século 20. Formada principalmente por homens que não se identificavam coletivamente como operários e que, carecendo de unidade de ação e de consciência coletiva, não aparentavam ter potencial para a organização política. O autor investiga as ações de Lula durante aqueles anos e o legado por elas deixado, em termos tanto do que Lula aprendeu quanto do que ele veio a significar para todas as pessoas que cruzaram seu caminho, seja diretamente ou pela mídia. “Ao analisar em profundidade a origem das ações e palavras de Lula (ou seja, atos de fala), Lula e a políticada astúcia oferece um entendimento muito específico da política enquanto relações e da liderança com um trabalho corporificado realizado pelas palavras.” (texto de Apresentação)

Lula e a política da astúcia: de metalúrgico a presidente do Brasil está disponível para download gratuito no site da Fundação Perseu Abramo. Também está com pré-venda até dia 03/09/22 com 20% de desconto no site da Editora Expressão Popular. e está no Clube do Livro Expressão Popular de agosto (com assinaturas mensais a partir de R$ 43).

Sobre o autor

John D. French é professor de História na Duke University e North Carolina University. É autor dos livros “O ABC dos operários: conflitos e alianças de classe em São Paulo (1900-1950)” e “Afogados em Leis: a CLT e a cultura política dos trabalhadores brasileiros”, editado pela Editora Fundação Perseu Abramo, dentre outros. Graduado em Amherst College, French obteve seu doutorado em 1985 em Yale University, orientado pela historiadora brasileira Emília Viotti da Costa. Desde 1979 estuda temas relacionados à escravidão, legislação, política, economia e cultura popular do Brasil. É uma grande referência para os estudos de História Social do Trabalho no Brasil.

Confira alguns trechos do livro:

A astúcia

“Este livro oferece uma interpretação biográfica da origem, das raízes e da evolução da visão, dos valores e das práticas de liderança de Lula e de como esses fatores se desenrolaram à medida que Lula obtinha poder e estatura. Eu argumento que seu estilo e práticade liderança singulare duradoura – e o discurso a eles associado – já estavam cristalizados em 1978, o ano das primeiras greves, e continuariam inalterados pelas quatro décadas subsequentes. Aqui estava um líder aberto ao diálogo, mas mais do que disposto a levantar e lutar quando necessário, que praticava uma política da astúcia cumulativa e transformadora, realizada por meio da criação de espaços de convergência que atravessam as diferenças. Eu argumento que a liderança somente pode ser compreendida como um processo e como uma relação de mão dupla (mesmo que assimétrica) que casualmente estabelece uma conexão entre consciência das massas e ação, seja na greve ou nas urnas.”

O Socialismo

“O engajamento do Lula com o povo se baseava em sua crença absoluta de que o povo poderia ser educado politicamente, como ele foi. Isso também explica por que ele considerava o socialismo uma questão mais prática do que teórica, dada como a política socialista exige que um indivíduo “precisa levar em consideração a reação das pessoas”, o que impõe limites. “Como a gente não pode ficar parado no tempo e ficar esperando o socialismo acontecer”, ele comentou, “nem tampouco a gente pode apostar na miséria como forma de fazer o povo se revoltar e fazer o socialismo. Nós temos que ir apresentando soluções que deem chance ao povo de ir acreditando em nós, que vão dando chance para o povo ir trabalhando, que vão dando chance ao povo de morar [...] [e] ir conquistando degraus e degraus”.

Calendário de lançamentos:

03/09 - São Bernardo do Campo (SP) 

05/09 - Guararema (SP)

06/09 - São Paulo (SP) 

08/09 - Fortaleza (CE) 

09/09 - Recife (PE)

12/09 - Brasília (DF)

13/09 - Rio de Janeiro (RJ)

Ficha técnica

Título: Lula e a política da astúcia: de metalúrgico a presidente do Brasil

Autor: John D. French

Tradução: Lia Machado Fortes

Revisão técnica: Alexandre Fortes 

1ª Edição - 2022

Editora Expressão Popular e Fundação Perseu Abramo 

ISBN: 978-65-5891-069-5

Número de páginas: 688 

Capa: Rafael Stedile


Disponível para baixar gratuitamente no site da Fundação Perseu Abramo

Nenhum comentário

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

© Todos os direitos reservados - 2021