Postagens

Mostrando postagens com o rótulo caixa econômica federal

DESTAQUE

Pague Menos e Ultrapar confirmam compra da Extrafarma pelo preço final de R$ 700 milhões

Imagem
Foto: Divulgação  Com aquisição, Pague Menos se torna a segunda maior rede de farmácias em número de lojas do país, atrás apenas de Raia Drogasil SÃO PAULO – Seguindo a intensa agenda de fusões e aquisições nos últimos meses entre empresas da Bolsa, nesta terça-feira (18) de manhã os investidores receberam a notícia da Reuters de que a Pague Menos (PGMN3) teria comprado a Extrafarma, do conglomerado Ultrapar (UGPA3), por R$ 600 milhões mais dívida e caixa, que totalizaram assim R$ 700 milhões. A notícia oficial da transação, contudo, aconteceu depois do fechamento do mercado, após as companhias terem confirmado durante a manhã desta terça-feira (18) apenas que estavam em negociação, mas sem os termos do acordo. Já depois do fechamento do mercado, além da confirmação do negócio, mais detalhes foram dados. A Ultrapar confirmou que assinou o contrato por um valor total da venda (EV – enterprise value) de R$ 700 milhões, sujeito a ajustes em razão principalmente das variações de capital de

Representantes dos movimentos sociais estarão em Brasília, hoje (27), para reafirmar na Câmara e no Senado a necessidade do auxílio emergencial de 600 reais

Imagem
Foto: Reprodução Decisão foi tomada diante do agravamento da fome e da miséria no país e dos valores do auxílio que são insuficientes para comprar a cesta básica O auxílio emergencial, com as faixas que foram aprovadas (valores de R$ 175, R$ 250 e R$ 375), é insuficiente para cobrir as despesas básicas de alimentação de uma família. Além disso, como o teto de gastos foi limitado a R﹩ 44 bilhões, a quantidade de beneficiários foi reduzida de 68,2 para 45,6 milhões. Com isso, um em cada quatro brasileiros beneficiados em 2020 não poderá contar com o auxílio este ano. O novo valor não é suficiente para comprar sequer 25% da cesta básica. Segundo José Antônio Moroni, representante do Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC), já está mais que comprovada a necessidade do auxílio emergencial no valor de 600 reais. "A fome voltou, temos altas taxas de desemprego, crise econômica e nenhuma política de apoio à manutenção do emprego e da renda. Portanto, o auxílio é um recurso par