Postagens

Mostrando postagens com o rótulo governo federal

DESTAQUE

Pague Menos e Ultrapar confirmam compra da Extrafarma pelo preço final de R$ 700 milhões

Imagem
Foto: Divulgação  Com aquisição, Pague Menos se torna a segunda maior rede de farmácias em número de lojas do país, atrás apenas de Raia Drogasil SÃO PAULO – Seguindo a intensa agenda de fusões e aquisições nos últimos meses entre empresas da Bolsa, nesta terça-feira (18) de manhã os investidores receberam a notícia da Reuters de que a Pague Menos (PGMN3) teria comprado a Extrafarma, do conglomerado Ultrapar (UGPA3), por R$ 600 milhões mais dívida e caixa, que totalizaram assim R$ 700 milhões. A notícia oficial da transação, contudo, aconteceu depois do fechamento do mercado, após as companhias terem confirmado durante a manhã desta terça-feira (18) apenas que estavam em negociação, mas sem os termos do acordo. Já depois do fechamento do mercado, além da confirmação do negócio, mais detalhes foram dados. A Ultrapar confirmou que assinou o contrato por um valor total da venda (EV – enterprise value) de R$ 700 milhões, sujeito a ajustes em razão principalmente das variações de capital de

STF: União deve apresentar em 10 dias planejamento para compra e distribuição do kit intubação

Imagem
Foto: Reprodução Ministra Rosa Weber deferiu pedido do Estado da Bahia, que denunciou a escassez de insumos e alegou omissão do governo federal na sua aquisição. Em decisão liminar, a ser referendada pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Rosa Weber determinou à União Federal que apresente, no prazo de 10 dias, um planejamento detalhado das ações em prática e das que pretende adotar para garantir o suprimento dos insumos do chamado kit intubação. De acordo com a decisão, proferida na Ação Cível Originária (ACO) 3490, o plano deverá contemplar, no mínimo, o nível atual dos estoques de medicamentos, a forma e a periodicidade do seu monitoramento, a previsão de aquisição de novos medicamentos, com os cronogramas de execução, os recursos financeiros para fazer frente à aquisição e à distribuição dos insumos, considerando o prognóstico da pandemia no território nacional, os critérios de distribuição e a forma pela qual dará ampla publicidade ao planejamento

Representantes dos movimentos sociais estarão em Brasília, hoje (27), para reafirmar na Câmara e no Senado a necessidade do auxílio emergencial de 600 reais

Imagem
Foto: Reprodução Decisão foi tomada diante do agravamento da fome e da miséria no país e dos valores do auxílio que são insuficientes para comprar a cesta básica O auxílio emergencial, com as faixas que foram aprovadas (valores de R$ 175, R$ 250 e R$ 375), é insuficiente para cobrir as despesas básicas de alimentação de uma família. Além disso, como o teto de gastos foi limitado a R﹩ 44 bilhões, a quantidade de beneficiários foi reduzida de 68,2 para 45,6 milhões. Com isso, um em cada quatro brasileiros beneficiados em 2020 não poderá contar com o auxílio este ano. O novo valor não é suficiente para comprar sequer 25% da cesta básica. Segundo José Antônio Moroni, representante do Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC), já está mais que comprovada a necessidade do auxílio emergencial no valor de 600 reais. "A fome voltou, temos altas taxas de desemprego, crise econômica e nenhuma política de apoio à manutenção do emprego e da renda. Portanto, o auxílio é um recurso par

Relatório do TCU detalha gastos de R$ 635,5 bilhões da União com a pandemia

Imagem
Imagem: FDR   As três maiores despesas em 2020 foram: Programa Auxílio Emergencial (R$ 292,1 bilhões), despesas autorizadas no âmbito da LC 173/2020 (R$ 60,1 bilhões) e Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (R$ 38,1 bilhões). O Tribunal apresentou relatório que consolida a execução orçamentária das medidas de combate à pandemia, os benefícios tributários concedidos, e o impacto fiscal dessas medidas sobre as receitas e despesas primárias em 2020. O trabalho levou em conta as alterações nas regras orçamentário-financeiras e os efeitos da crise e das medidas de resposta governamental. No exercício de 2020, a União alocou cerca de R$ 635,5 bilhões em dotações orçamentárias para o combate à pandemia causada pela Covid-19. Foram repassados R$ 113,5 bilhões aos entes subnacionais para o combate à pandemia. As três maiores despesas em 2020 foram: Programa Auxílio Emergencial (R$ 292,1 bilhões), despesas autorizadas no âmbito da LC 173/2020 (R