Postagens

Mostrando postagens com o rótulo operação tempestade

DESTAQUE

Pague Menos e Ultrapar confirmam compra da Extrafarma pelo preço final de R$ 700 milhões

Imagem
Foto: Divulgação  Com aquisição, Pague Menos se torna a segunda maior rede de farmácias em número de lojas do país, atrás apenas de Raia Drogasil SÃO PAULO – Seguindo a intensa agenda de fusões e aquisições nos últimos meses entre empresas da Bolsa, nesta terça-feira (18) de manhã os investidores receberam a notícia da Reuters de que a Pague Menos (PGMN3) teria comprado a Extrafarma, do conglomerado Ultrapar (UGPA3), por R$ 600 milhões mais dívida e caixa, que totalizaram assim R$ 700 milhões. A notícia oficial da transação, contudo, aconteceu depois do fechamento do mercado, após as companhias terem confirmado durante a manhã desta terça-feira (18) apenas que estavam em negociação, mas sem os termos do acordo. Já depois do fechamento do mercado, além da confirmação do negócio, mais detalhes foram dados. A Ultrapar confirmou que assinou o contrato por um valor total da venda (EV – enterprise value) de R$ 700 milhões, sujeito a ajustes em razão principalmente das variações de capital de

Operação Tempestade mira grupo que movimentou R$ 700 milhões sob suspeita de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e da corrupção. Entre os alvos, escritórios de advocacia.

Imagem
Foto: Divulgação/PF Segundo os investigadores, ao longo das apurações foram identificados alvos antigos de ofensivas da PF, como as Operações Navalha, Prato Feito e Zelotes. A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira, 3, a Operação Tempestade para desarticular núcleo financeiro responsável pela lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e da corrupção. Foi determinado o sequestro de cerca R$ 30 milhões dos investigados, em imóveis e veículos, além da interdição de seis empresas, pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, que também decretou o bloqueio de valores em contas das pessoas físicas e jurídicas no limite de R$ 225.778.732,31. Segundo informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o grupo investigado realizou operações financeiras atípicas superiores a R$ 700 milhões. Cinco mandados de prisão – quatro preventivas e uma temporária –  e 22 buscas estão sendo realizadas em endereços de São Paulo, Tietê, Guarujá, Rio de Janeiro e Brasília. En