Ex-prefeito de Sertânia Guga Lins que coordenou a campanha de Bruno Araújo é preso em operação de combate à corrupção da Polícia Civil

Ex-pefeito de Sertânia, preso hoje pela Polícia Civil, é do PSDB e foi coordenador da campanhadobexex-ministro Bruno Araújo ao senado 


A Secretaria de Defesa Social, através da Polícia Civil de Pernambuco, no âmbito do Pacto pela Vida, deflagrou na manhã desta quinta-feira (4), a 57ª Operação de Repressão Qualificada do ano, denominada "RES PUBLICAE”, vinculada à Diretoria Integrada do Interior 2 – DINTER 2, decorrente de investigação realizada pelo Delegado Ubiratan Rocha, titular da 167ª Circunscrição Policial, vinculada à 20ª DESEC – Afogados da Ingazeira-PE.

A investigação teve início no ano de 2017, com objetivo de desarticular organização criminosa voltada para a prática dos crimes de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, peculato e organização criminosa.

Durante a operação, foram cumpridos 06 (seis) mandados de prisão e 10 (dez) mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juiz da Primeira Vara da Comarca de Sertânia-PE.

Além do ex-prefeito de Sertânia, Guga Lins, foram presos o ex-secretário de Saúde, Antônio Carlos (residente em Afogados da Ingazeira) e outro ex-secretário.

A Policia confirmou que durante as buscas foram apreendidos do ex-secretário de Saúde  euros, armas e indicios dr lavagem de dinheiro.

Para a execução dos mandados foram empregados 70 Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães. A Operação está sendo coordenada pela Diretoria Integrada do Interior – 2 e supervisionada diretamente pela Chefia da Polícia. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco – DINTEL, LAB – Laboratório de Lavagem de Dinheiro e a Diretoria de Inteligência do Estado de Alagoas.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Sem saber que estava sendo gravado, marido e assessor de vereadora relata fraudes em licitações envolvendo deputado federal e esquemas com emendas parlamentares. Até manipulação do MPPE para obter vantagens ele confessa

Incômodo de políticos influentes com investigações estariam por trás de perseguições a Delegada Patrícia Domingos, suspeita presidente da ADEPPE

Exclusivo: Relatório do MPPE comprova que SDS tenta responsabilizar delegada Patrícia por prescrições ocorridas no século passado, antes da policial ingressar na própria Policia Civil. Quem estão querendo acobertar?